A NASA quer estudar o universo com um telescópio acoplado a um balão na estratosfera

Tudo sobre

NASA

Saiba tudo sobre a NASA

Mostre mais

A equipe do Laboratório de Propulsão a Jato da NASA (JPL) está em uma missão ambiciosa: a agência espacial quer transformar um telescópio de dois metros em um balão do tamanho de um campo de futebol. O telescópio, apelidado de ASTHROS – abreviação de Telescópio Astrofísico, para observações de alta resolução em comprimentos de onda abaixo do milímetro, deve ser lançado em 2023 na Antártica. Se tudo correr bem, ele passará por correntes de ar na estratosfera.

O telescópio será lançado 40 km acima da superfície da Terra para observar as ondas infravermelhas que são bloqueadas pela atmosfera, que não podem ser vistas pelo olho humano. Jose Siles, Gerente do Projeto ASTHROS, explica que as missões de dirigíveis correm maior risco de missões espaciais, mas os custos são menores. “Com o ASTHROS, queremos fazer observações astrofísicas que nunca fizemos antes”, explica ele. E saiba que as expectativas são muito altas: para Siles, esta missão abrirá o caminho para futuras missões espaciais, testando novas tecnologias e fornecendo treinamento para futuras gerações de engenheiros e cientistas.

Conceito ASTHROS (Imagem: Laboratório de imagens de conceito do Goddard Space Flight Center da NASA / Michael Linz)

Em geral, o telescópio funcionará como os “olhos infravermelhos” da NASA no céu, e terá essencialmente quatro alvos e duas regiões de formação de estrelas em nossa galáxia que devem ser observadas. O primeiro é a descoberta e o mapeamento da existência de dois tipos específicos de íons de nitrogênio, que poderiam indicar onde os ventos massivos das estrelas e as explosões de supernovas alteraram a forma das nuvens de gás nessas regiões. O segundo objetivo é criar os primeiros mapas 3D detalhados com informações sobre densidade, velocidade e movimento do gás nessas regiões, para ver como os gigantes recém-nascidos podem influenciar seus materiais de treinamento. Usando essas informações, a equipe será capaz de reunir dados básicos para melhorar as simulações virtuais da evolução da galáxia.

READ  Você costuma compartilhar sua senha? É melhor você ter cuidado

Em seguida, o terceiro alvo do ASTHROS será a galáxia Messier 83, pois o telescópio buscará informações sobre como as reações estelares – isto é, o processo que pode prevenir ou acelerar a formação de estrelas – afetam diferentes tipos de galáxias. Finalmente, o anão TW Hydrae é o alvo final do telescópio. Esta estrela é cercada por um grande disco de poeira e gás, e a equipe suspeita que este também possa ser o local da formação de um novo planeta. Assim, o telescópio medirá a massa total deste disco e verificará como a massa está distribuída sobre ele.

Segundo balão atmosférico do Observatório Stratosphere Terahertz (STO-2) da NASA (Foto: NASA / JPL-Caltech)

Selez explica que o lançamento do ASTHROS acontecerá nos confins do espaço no lugar mais distante e hostil da Terra, o que é difícil. Porém, a equipe está finalizando o telescópio e outros instrumentos que estarão a bordo. Se tudo correr bem, os testes dos subsistemas do telescópio devem começar no início de agosto.

Fonte: NASA

Gostou deste artigo?

Assine o seu e-mail no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas novidades do mundo da tecnologia.

Teremos o maior prazer em ouvir seus pensamentos

Deixe uma Comentário

GIRONATV.COM É PARTICIPANTE DO PROGRAMA AMAZON SERVICES LLC ASSOCIATES, UM PROGRAMA DE PUBLICIDADE AFILIADO PROJETADO PARA FORNECER MEIOS PARA OS SITES GANHAREM TAXAS DE PUBLICIDADE EM E EM CONEXÃO COM AMAZON.COM. AMAZON, O LOGOTIPO AMAZON, AMAZONSUPPLY E O LOGOTIPO AMAZONSUPPLY SÃO MARCAS REGISTRADAS DA AMAZON.COM, INC. OU SUAS AFILIADAS. COMO ASSOCIADO DA AMAZÔNIA, GANHAMOS COMISSÕES DE AFILIADOS PARA COMPRAS ELEGÍVEIS. OBRIGADO, AMAZON POR NOS AJUDAR A PAGAR AS TAXAS DO SITE! TODAS AS IMAGENS DE PRODUTOS SÃO DE PROPRIEDADE DE AMAZON.COM E DE SEUS VENDEDORES.
Giro na TV