Uma revolução na Premier League inglesa marca a primeira mão da União Europeia

artigo

A FA confirmou esta terça-feira que todos os reforços vindos da União Europeia vão necessitar de visto de trabalho com base no sistema de pontos de “mérito”.

Como esperado, o Brexit revolucionará verdadeiramente o mercado das principais ligas da Inglaterra (Premier League e Championship). A Federação de Futebol confirmou, terça-feira, que todos os reforços de países da União Europeia vão necessitar de visto de trabalho baseado no sistema de pontos relacionado com os internacionais de alta e emergente, a qualidade do clube que representa, e presença em competições nacionais. E internacional. Os atletas que “passarem” neste candidato principal podem jogar automaticamente na Premier League, enquanto aqueles que “falham” podem recorrer a um caso de exceção sujeito à aprovação da Autoridade.

As novas regras também estipulam que os clubes da Premier League não estão autorizados a contratar jogadores estrangeiros com menos de 18 anos e limitam as contratações de jogadores com menos de 21 a três anos. O objetivo, segundo a FA, é incentivar os clubes a apostarem no talento inglês.

As novas regras entrarão em vigor na janela de transferência de janeiro próximo.

READ  O fluxo de lava do vulcão La Palma chega ao mar

Deixe um comentário