Quais são as mudanças na política espacial dos EUA sob o governo Biden?

Com a saída de Donald Trump da presidência dos EUA e a posse de Joe Biden, surgiram dúvidas sobre a política espacial dos EUA em meio à mudança de governo. Como o futuro presidente não abordou o assunto publicamente durante sua campanha, não se sabe muito sobre as possíveis mudanças, embora algumas delas já tenham começado em 2020.

O primeiro consiste em um novo ambiente para a NASA, com a saída do atual chefe da agência, Jim Bridenstein, com o fim do governo Trump. Nomeado em 2018, com algumas dúvidas e mantendo o conservadorismo do atual presidente dos Estados Unidos, Bridenstein não esperou alguns sinais de Biden – negativos ou positivos – para anunciar que não continuará no cargo no próximo ano.

Ele apenas disse que a pós-graduação não tem nada a ver com posições partidárias, mas sim garantir que a NASA possa avançar sob uma nova liderança.

“Você precisa de alguém que tenha um relacionamento próximo com o presidente dos Estados Unidos”, disse Bridenstein. Semana da AviaçãoAcrescentando que não seria a pessoa mais indicada para o novo cargo de governo.

Judy Singer, diretora do Marshall Space Flight Center, Mark Geyer, diretor do Johnson Space Center, e Dennis Andrusik, diretor do Goddard Space Flight Center, são apenas alguns dos candidatos potenciais, além do atual vice-diretor James Moorehard. Esta posição, entretanto, ainda não foi preenchida.

READ  O livro "Gastronomia e Ciência dos Alimentos" contém um capítulo escrito por professores da ESAC

A partida de Jim Bridenstine deve significar uma nova orientação para a NASA. Imagem: NASA / Devolgau

Outra mudança esperada diz respeito à atenção dada à Força Espacial, um novo braço militar dos EUA criado sob o gesto de Trump. O programa vê o espaço como uma potencial zona de guerra, sem priorizar o campo da aventura científica – embora tenha obtido apenas 31% de aprovação pública. Isso não significa que o projeto será desmantelado, mas que a força espacial deverá permanecer com menos foco.

Quanto ao projeto para devolver os astronautas à Lua em 2024, a única “evidência” pode ser encontrada no documento do Partido Democrata, Construindo uma Economia Mais Forte e Mais Justa. Em uma passagem, o texto afirma: “Apoiando o trabalho da NASA para trazer os americanos de volta à Lua, contornar Marte e dar o próximo passo na exploração de nosso sistema solar.”

Embora os prazos não tenham sido mencionados, poucas mudanças na abordagem atual devem ser vistas à luz da cooperação internacional conquistada com o programa Artemis, que visa ancorar a presença humana no satélite para preparar o caminho para uma possível viagem a Marte.

Mesmo com o potencial de sucesso do projeto Artemis, o destino ao Planeta Vermelho deve demorar mais. De acordo com um relatório do Instituto de Política de Ciência e Tecnologia em 2019, uma missão tripulada a Marte na década de 2030 não é aplicável atualmente. Biden não deve tentar reverter a situação.

Reprodu

O projeto Artemis busca fortalecer a presença humana na lua para abrir caminho para a viagem de Marte. Imagem: NASA / Devolgau

Foco na emergência climática

Durante sua campanha, Biden deixou clara sua preocupação em enfrentar a emergência climática. O combate deve se concentrar nas fronteiras da poluição industrial e das fontes renováveis ​​de energia, indicando uma política espacial mais voltada para as missões de observação da Terra, como o Goes (Satélite Operacional Ambiental).

READ  Washington pode manter "time de futebol" como um nome permanente

Isso significa que provavelmente haverá um maior compromisso com os satélites para monitorar derramamentos de óleo, desmatamento e emissões de carbono.

No geral, menos financiamento é esperado para missões espaciais, principalmente devido à crise financeira provocada pela Covid-19. Por outro lado, como tudo ainda é especulação sobre programas de governo, o próprio gesto de Biden será o responsável por dar mais respostas sobre a futura política espacial nos próximos anos.

Através: The Next Web

Teremos o maior prazer em ouvir seus pensamentos

Deixe uma Comentário

GIRONATV.COM É PARTICIPANTE DO PROGRAMA AMAZON SERVICES LLC ASSOCIATES, UM PROGRAMA DE PUBLICIDADE AFILIADO PROJETADO PARA FORNECER MEIOS PARA OS SITES GANHAREM TAXAS DE PUBLICIDADE EM E EM CONEXÃO COM AMAZON.COM. AMAZON, O LOGOTIPO AMAZON, AMAZONSUPPLY E O LOGOTIPO AMAZONSUPPLY SÃO MARCAS REGISTRADAS DA AMAZON.COM, INC. OU SUAS AFILIADAS. COMO ASSOCIADO DA AMAZÔNIA, GANHAMOS COMISSÕES DE AFILIADOS PARA COMPRAS ELEGÍVEIS. OBRIGADO, AMAZON POR NOS AJUDAR A PAGAR AS TAXAS DO SITE! TODAS AS IMAGENS DE PRODUTOS SÃO DE PROPRIEDADE DE AMAZON.COM E DE SEUS VENDEDORES.
Giro na TV