Quais são as mudanças na política espacial dos EUA sob o governo Biden?

Quais são as mudanças na política espacial dos EUA sob o governo Biden?

Com a saída de Donald Trump da presidência dos EUA e a posse de Joe Biden, surgiram dúvidas sobre a política espacial dos EUA em meio à mudança de governo. Como o futuro presidente não abordou o assunto publicamente durante sua campanha, não se sabe muito sobre as possíveis mudanças, embora algumas delas já tenham começado em 2020.

O primeiro consiste em um novo ambiente para a NASA, com a saída do atual chefe da agência, Jim Bridenstein, com o fim do governo Trump. Nomeado em 2018, com algumas dúvidas e mantendo o conservadorismo do atual presidente dos Estados Unidos, Bridenstein não esperou alguns sinais de Biden – negativos ou positivos – para anunciar que não continuará no cargo no próximo ano.

Ele apenas disse que a pós-graduação não tem nada a ver com posições partidárias, mas sim garantir que a NASA possa avançar sob uma nova liderança.

“Você precisa de alguém que tenha um relacionamento próximo com o presidente dos Estados Unidos”, disse Bridenstein. Semana da AviaçãoAcrescentando que não seria a pessoa mais indicada para o novo cargo de governo.

Judy Singer, diretora do Marshall Space Flight Center, Mark Geyer, diretor do Johnson Space Center, e Dennis Andrusik, diretor do Goddard Space Flight Center, são apenas alguns dos candidatos potenciais, além do atual vice-diretor James Moorehard. Esta posição, entretanto, ainda não foi preenchida.

READ  Vodafone admite que pode deixar de investir em Portugal

A partida de Jim Bridenstine deve significar uma nova orientação para a NASA. Imagem: NASA / Devolgau

Outra mudança esperada diz respeito à atenção dada à Força Espacial, um novo braço militar dos EUA criado sob o gesto de Trump. O programa vê o espaço como uma potencial zona de guerra, sem priorizar o campo da aventura científica – embora tenha obtido apenas 31% de aprovação pública. Isso não significa que o projeto será desmantelado, mas que a força espacial deverá permanecer com menos foco.

Quanto ao projeto para devolver os astronautas à Lua em 2024, a única “evidência” pode ser encontrada no documento do Partido Democrata, Construindo uma Economia Mais Forte e Mais Justa. Em uma passagem, o texto afirma: “Apoiando o trabalho da NASA para trazer os americanos de volta à Lua, contornar Marte e dar o próximo passo na exploração de nosso sistema solar.”

Embora os prazos não tenham sido mencionados, poucas mudanças na abordagem atual devem ser vistas à luz da cooperação internacional conquistada com o programa Artemis, que visa ancorar a presença humana no satélite para preparar o caminho para uma possível viagem a Marte.

Mesmo com o potencial de sucesso do projeto Artemis, o destino ao Planeta Vermelho deve demorar mais. De acordo com um relatório do Instituto de Política de Ciência e Tecnologia em 2019, uma missão tripulada a Marte na década de 2030 não é aplicável atualmente. Biden não deve tentar reverter a situação.

Reprodu

O projeto Artemis busca fortalecer a presença humana na lua para abrir caminho para a viagem de Marte. Imagem: NASA / Devolgau

Foco na emergência climática

Durante sua campanha, Biden deixou clara sua preocupação em enfrentar a emergência climática. O combate deve se concentrar nas fronteiras da poluição industrial e das fontes renováveis ​​de energia, indicando uma política espacial mais voltada para as missões de observação da Terra, como o Goes (Satélite Operacional Ambiental).

READ  A lista de municípios com maior e mais alto risco varia de 127 a 113

Isso significa que provavelmente haverá um maior compromisso com os satélites para monitorar derramamentos de óleo, desmatamento e emissões de carbono.

No geral, menos financiamento é esperado para missões espaciais, principalmente devido à crise financeira provocada pela Covid-19. Por outro lado, como tudo ainda é especulação sobre programas de governo, o próprio gesto de Biden será o responsável por dar mais respostas sobre a futura política espacial nos próximos anos.

Através: The Next Web

Teremos o maior prazer em ouvir seus pensamentos

Deixe uma Comentário

GIRONATV.COM É PARTICIPANTE DO PROGRAMA AMAZON SERVICES LLC ASSOCIATES, UM PROGRAMA DE PUBLICIDADE AFILIADO PROJETADO PARA FORNECER MEIOS PARA OS SITES GANHAREM TAXAS DE PUBLICIDADE EM E EM CONEXÃO COM AMAZON.COM. AMAZON, O LOGOTIPO AMAZON, AMAZONSUPPLY E O LOGOTIPO AMAZONSUPPLY SÃO MARCAS REGISTRADAS DA AMAZON.COM, INC. OU SUAS AFILIADAS. COMO ASSOCIADO DA AMAZÔNIA, GANHAMOS COMISSÕES DE AFILIADOS PARA COMPRAS ELEGÍVEIS. OBRIGADO, AMAZON POR NOS AJUDAR A PAGAR AS TAXAS DO SITE! TODAS AS IMAGENS DE PRODUTOS SÃO DE PROPRIEDADE DE AMAZON.COM E DE SEUS VENDEDORES.
Giro na TV